sábado, 30 de maio de 2009

We'll meet again

Ao longo de mais de 40 anos de registos musicais, têm sido imensas as participações de José Cid nos Festivais da Canção, seja como interprete, seja como compositor. Por essa razão, José Cid pode vangloriar-se de ter sido, até ao momento, o músico que mais vezes participou nesse festival. Contudo, não podemos dizer que os resultados tenham sido sempre os esperados e os mais merecidos. Sem desconsiderar outras brilhantes canções (irremediavelmente melhores que algumas das canções que José Cid apresentou no Festival da Canção) ainda hoje muitos críticos tentam compreender, por exemplo, como é que “ No dia em que o rei fez anos” não ganhou o Festival da Canção de 1974, ou porque razão o tema “ Vinte anos”, nem sequer foi aceite para a selecção final do Festival da Canção de 1973. Reflexo ou não de alguma dose de injustiça, José Cid tem sido o campeão dos segundos lugares no Festival da Canção, situação que, aliás, é ironicamente retratada na colecção de banda desenhada Pop Rock Português”, da recente edição Tugaland de 2008.
Todavia, em 1980 (uma vez que o Destino, enquanto não se consolida, também é susceptível de mudança), José Cid alcança finalmente o primeiro lugar do Festival da Canção, cantando "Um Grande, Grande, Amor", com letra e música de sua autoria e brilhantes orquestrações de Mike Sergeant. Na verdade, com o tema “ Um grande, grande amor” tudo parecia estar encaminhado para que finalmente Portugal pudesse suspirar por um desfecho mais favorável na Eurovisão, capaz de superar o 7.º lugar de Carlos Mendes em 1972. Efectivamente, pese embora a banalização que “Um grande, grande amor” alcançou posteriormente, o certo é que em pleno ínicio da década de 80 José Cid apresenta no Festival da Eurovisão um tema provido de um beat rapido, uma semi mescla de rock vertido na ligeireza de disco sound com arranjos esmerados e, como tal, perfeitamente enquadrável no ambiente de festa da Eurovisão e da (suposta) linguagem universal que esses festivais transbordam...A própria letra da canção é um reflexo dessa linguagem universal, pela utilização de um refrão em várias idiomas ( português, inglês, francês e alemão), no qual José Cid nos primeiros versos canta: “Adio, adieu,auf wiedersehn, good bye, Amore, amour, mein liebe, love of my life “.

Numa altura em que, a transmissão dos Festivais Eurovisão da Canção, ainda tinha um significado especial para a população europeia em geral e para a portuguesa em particular, foram milhões de telespectadores que não arredaram pé de frente do televisor e que assistiram à vitória do irlandês Johnny Logan, no 25.º Festival da Eurovisão da Canção de 1980, realizado em Haia, no dia 19 de Abril de 1980. A canção vencedora chamava-se “ What's Another Year”, uma balada romântica, que no final da votação do jurí totalizou 143 pontos. Em relação à participação portuguesa, José Cid, quedou-se pelo 7.º lugar com 71 pontos.
Apesar de um sétimo lugar poder ser considerado um resultado brilhante para qualquer artista no âmbito do Festival Eurovisão da Canção, o certo é que, após o terminus do festival, se constatou um sentimento de elevada injustiça na classificação portuguesa. Com efeito, para além da evidente inferioridade de muitas das canções que ficaram à frente da canção portuguesa, foram também muitos os concorrentes que nos bastidores davam José Cid como o candidato favorito à vitória final. Por mera curiosidade, retiramos um excerto de um artigo da imprensa da época sobre o referido festival que ilustra de forma simples e precisa o ambiente de desilusão e as eventuais causas do “ fracasso” de José Cid na Eurovisão de 1980 “ Segundo o próprio José Cid, aquela semana de convívio com o pessoal do Festival da Eurovisão de 1980, terá sido o mais importante triunfo da sua notável carreira artística. Muitos diziam, desde o primeiro momento, que ele seria o vencedor indiscutível e em boa verdade, se não fossem os bens conhecidos jogos de bastidores sujeitos aos altos trusts internacionais das empresas gravadoras, na realidade José Cid seria o indiscutível vencedor do Eurofestival de 1980. Mas o talento e o trabalho profícuo pouco valem perante certos interesses... José Cid não ganhou o Eurofestival de 1980, mas foi, sem dúvida, o maior da Europa... Quem é capaz de o pôr em duvida ?
Já após o sétimo lugar de José Cid, já Lúcia Moniz em Oslo no ano de 1996, alcançou um brilhante sexto lugar, embora com um registo musical totalmente diferente. No entanto, com o passar dos anos, e com a mudança total das regras do Festival da Eurovisão, a verdade é que as possibilidades de Portugal alcançar uma classificação superior ao 6.º lugar de Lúcia Moniz, serão cada vez mais remotas. Com a crescente tendência para que concorrentes ao Festival se apresentem a concurso com canções cantadas noutras línguas, nomeadamente o inglês, ( facto que já ocorreu com a participação portuguesa de 2005) , uma pergunta se coloca necessariamente: Qual teria sido a classificação de José Cid caso o mesmo tivesse cantado a canção “ Um grande, grande amor” em inglês, em detrimento do português ? Não sabemos. Cremos que, devido aos interesses subjacentes a tão famoso festival, que jamais Cid teria ficado em primeiro lugar embora seguramente muito acima do 7.º lugar alcançado. ( Não fosse o Destino de José Cid bater-lhe à porta e alcançaria mais um segundo lugar.... )
Contudo, facto menos conhecido da generalidade dos apreciadores de José Cid, é que, após o êxito do festival, e visando mais uma tentativa de internacionalização, o Artista gravou uma versão em inglês da canção um “Um grande, grande amor”, distribuído pela etiqueta alemã Jupiter Records, com o renovado título de “ We'll meet again/Barbara” ( Jupiter Records – Gema – 132 035). Na nossa opinião, e com o devido respeito pela nossa amada língua portuguesa, “We'll meet again” é talvez a versão definitiva de “Um grande, grande amor”, na medida em que o ouvinte à medida que percorre os quase quatro minutos de “We'll meet again”, jamais poderá associar esta canção a uma versão de uma canção anterior, bem pelo contrário: "We’ll meet again" apresenta um som fresco, com uma mensagem manifestamente universal. Nunca a utilização da língua inglesa por parte de José Cid teve tanto impacto numa canção senão em “We'll meet again”, na qual os afinados e poderosos coros a ajudam a tornar-se perfeita.”. Não temos dúvida em afirmar que se “We'll meet again” tivesse feito, por exemplo, parte do reportário dos ABBA, ou de outros grupos de entretenimento dos anos 80, que o conhecimento por parte do público desta canção seria irremediavelmente outro. Como assim não sucedeu, “We'll meet again” continua a ser uma das canções de José Cid menos conhecidas dos portugueses, e cuja edição em CD ainda não existe, nem estando sequer prevista uma qualquer data ou projecto, para inclusão desta canção em qualquer projecto relacionado com a discografia de José Cid. Da nossa parte, resta-nos através deste honesto artigo de opinião, contribuir para o seu não esquecimento.
( Fotos alusivas à participação de José Cid no Festival da Canção em Haia, 1980)
video

Clique no Play para ouvir um excerto da canção

Sem comentários: