domingo, 15 de fevereiro de 2009

Canta-me um blues

Conforme temos tentado evidenciar nas nossas mensagens, José Cid tem passado por quase todos os estilos musicais, não porque a isso se propôs, mas sim porque foi o próprio desenvolvimento das várias formas de expressão musical ao longo da história da música popular que acabou por oferecer aos artistas um enorme leque de possibilidades, a fim de poderem explorar o talento que com eles nasceu. José Cid, para não fugir à sina dos afortunados,ora através de composições de estilo muito próprio, ora através de composições que se encaixavam perfeitamente num determinado cliché musical, soube conjugar da melhor maneira o seu talento inato com as influências que também recebeu de outros artistas ou correntes musicais. No entanto, há um estilo musical que podemos considerar como a raiz de toda a expressão da música popular universalizada: falamos obviamente do bom velho Blues, que tantas vezes nos acompanha ao longo da vida, ou mesmo durante o próprio dia. Contudo, depois de percorrermos a discografia completa de José Cid e do Quarteto 1111, não podemos dizer que seja fácil encontrar muitos temas de blues. Bem pelo contrário; infelizmente para nós, que tanto gostamos de Blues, José Cid não tem explorado muito essa vertente musical, pelo menos na sua vertente mais pura.
Da nossa parte, temos a esperança que um dia José Cid decida gravar um disco de Blues, por duas razões: primeiro, e pelo que temos ouvido dos seus trabalhos mais recentes (nomeadamente do disco “Ao vivo no Campo Pequeno”), José Cid apresenta-se hoje como o único músico português com autoridade e com capacidade vocal para gravar um bom disco de Blues em Portugal. A sua excelente voz aos 67 anos e os rasgos de improviso que ela nos oferece obrigam-nos a esperar ansiosamente por esse dia. E em segundo lugar, porque quem grava um disco de Jazz ao primeiro take, como José Cid gravou (Cais do Sodré, em 1998), também rapidamente grava um disco de Blues em 2 takes ! Aqui fica então a nossa sugestão, caso José Cid nos esteja a ler...
Atenção! Não pense que iríamos deixar a mensagem de hoje sem qualquer correspondência com a obra de José Cid. É que, apesar de pouco explorado, o Artista também nos cantou um blues, há precisamente 20 anos, no seu disco “ José Cid" ( Polygram 8385513-1) com uma canção intitulada “ Canta-me um blues”, a qual reflecte uma sincera homenagem do artista a esse género musical ( "Lá no fundo do meu túnel posso ver a luz do dia e é essa música azul que à saida me conduz, se me queres ver na maior, canta-me um blues)". É esse momento que pretendemos partilhar hoje com os nossos leitores.
Em relação ao disco do qual faz parte a canção Canta-me um blues, trata-se de mais um disco cuja edição em formato CD continua a pertencer à classe das raridades. Isto porque na contracapa do disco de vinil encontramos também uma referência “ Polygram CD -8385513-2, que nos remete para o CD que esgotou imediatamente em poucos meses. Este discurso para nós já é recorrente, infelizmente, pois são vários os discos de José Cid que ainda não têm versão em CD ou que, pelo menos, se encontram esgotados. Se pensarmos que dois dos temas mais populares de José Cid estão incluídos nesse disco (Cai neve em Nova York e Coração de Papelão), o caso assume contornos mais graves. Resumindo: é mais um bom disco de José Cid caído no esquecimento. Felizmente, conseguimos encontrar, perdido algures entre Venus e Marte, um vinil desse disco com a etiqueta na contracapa “Amostra Promocional - VENDA PROIBIDA”. Como é evidente, tivemos que comprá-lo!
Para hoje fica então um cheirinho deste blues que José Cid nos ofereceu em 1989.

video

Clique no play para ouvir um excerto da canção

2 comentários:

bissaide disse...

Caro Pedro: ainda não tive oportunidade de lhe responder como gostaria por mail, mas como tenho acompanhado este belo trabalho de amor não quis passar sem deixar aqui uma achega. O LP "José Cid" (1989) existe, de facto, em CD, só que está esgotado desde pouco depois. Infelizmente, também não tenho qualquer cópia. E adoro este disco, que tem um lado B extraordinário. Abraço e continuação deste excelente trabalho!

Pedro disse...

Ola "Bissaide", obrigado pela sua preciosa informação. Vou fazer uma pequena correcção na mensagem sobre o disco de 1989, pois parece-me importante que se esclareça que afinal existe versão CD. Curiosamente na amostra promocional da editora constam 10 temas, nas no copyright das musicas podemos contar 15. Fico sem saber se foi um erro de impressão da capa, ou se a edição em CD tem mais 5 temas do que o vinil promocional.
Em relação email que está para me responder, não se preocupe com a demora. Se é sobre o álbum "Palha", entretanto já arranjei uma gravação com melhor qualidade. Quando tiver mais tempo vou repor os temas desse disco aqui no blog, com qualidade melhorada. Obrigado.